Newsletter

a aa
19 09

A importância da sociabilização correta

Publicado em 19 de Sep de 2017 por Victoria Bassi Comentar

O filhote precisa de estímulos reais para virar um cão adulto feliz e saudável

Texto Alexandre Rossi | Foto Carol Gherard | Adaptação web Victoria Bassi

Assim como acontece conosco, que levamos para a fase adulta as experiências que adquirimos quando crianças, com os pets essa situação se repete. Os desafios, o contato com estímulos variados, pessoas e animais: tudo isso é importante e ajuda a formar um animal mais sociável, seguro e menos medroso. A isso damos o nome de sociabilização.

Ao falarmos de filhotes de cães, é essencial voltarmos para a época em que o pet ainda está em contato com a mãe e irmãos. É nesse período que o pequeno aprende as primeiras lições e limites, que são colocados pela própria família, como brincar e morder sem machucar. Justamente por isso a recomendação é que o animal permaneça nesse ambiente até o 50º dia de vida pelo menos.

Estímulos seguros

Já entre o segundo e o terceiro mês de vida, o cão está ainda mais aberto às novidades, o que facilita a apresentação ao “mundo” ao redor. Ainda que ele não tenha tomado todas as vacinas, é possível provê-lo de estímulos fundamentais. Mostre ao filhote objetos variados, pessoas de diferentes idades e etnias e sons diversos – tudo com que ele irá sede parar na vida adulta.

Outro ponto fundamental é o contato com outros animais. Para fazer isso de forma segura, saia com o filhote apenas de carro ou no colo, nunca colocando-o no chão. É interessante que esses estímulos sejam associados a situações boas para ele, para isso, você pode usar recompensas, carinhos e elogios.

Por fim, consulte o veterinário para que indique a melhor forma de realizar essas atividades sempre judicar a saúde do filhote. Seguindo essas dicas, você vai contribuir para que o peludo se torne um adulto mais bem preparado. É importante, ainda, manter uma rotina de sociabilização pelo resto da vida do cão, por meio de passeios e brincadeiras com outros animais.

Revista Meu Pet Ed.44

Comente!