Newsletter

a aa
28 06

Aprenda a prevenir pulgas e carrapatos

Publicado em 28 de Jun de 2017 por Victoria Bassi Comentar

Sabia que o espaço onde o cão vive é um dos focos para proliferação dos parasitas? Confira dicas para evitá-los

Texto Victoria Bassi | Foto Shutterstock

Qual animal nunca pegou pulgas e carrapatos? Além de indesejados, esses parasitas podem trazer doenças aos pets. Conversamos com a médica veterinária Laís Alarça, da Hercosul Alimentos, que trouxe algumas dicas para manter seu pet longe deles!

“As pulgas são responsáveis por coceiras, alergias, perda de peso e até verminose. Os carrapatos podem ser vetores que desencadeiam sérias doenças que podem levar o animal a óbito se não forem tratadas adequadamente. Algumas medidas básicas devem ser tomadas no próprio ambiente, já que em muitos casos ele é o foco para pulgas e carrapatos”, revela. Então, tratar também o espaço onde o cão vive é extremamente importante e torna o controle completamente eficaz.

  1. No verão, os parasitas encontram as melhores condições para se desenvolverem, chegando à vida adulta em apenas 10 dias. Nessa estação, evite passeios em praças, já que alguns cães podem estar desprotegidos;
  2. O rejunte do piso, as frestas, os tapetes e os sofás são perfeitos para pulgas se reproduzirem rapidamente, então dedetizar o local é fundamental;
  3. Os carrapatos, assim como as pulgas, são difíceis de serem encontrados por causa do tamanho pequeno. Caso perceba sinais de incômodo no pet, o indicado é usar luvas para inspecionar o pelo do cão, já que alguns parasitas podem até transmitir doenças aos seus humanos.
  4. Geralmente os cachorros avisam quando há algo errado, apresentando coceiras principalmente nas áreas dos olhos, orelhas e nuca. Atente-se!
  5. Pulgas e carrapatos também costumam instalar-se entre os dedos dos pets. Examinar o local é uma ótima ideia.

“Prevenir é o melhor remédio, mas se o problema já está instalado não há motivo para pânico. O tratamento pode ser demorado, mas costuma ser efetivo na maioria dos casos”, conclui.

Comente!