Newsletter

a aa
05 06

Guia para viajar com seu pet

Publicado em 05 de Jun de 2017 por Victoria Bassi Comentar

Siga as instruções e com certeza a viagem será perfeita

Texto Victoria Bassi | Foto Shutterstock

Já ficou claro que os animais vêm ganhando espaço fundamental nas famílias, a ponto que viajar sem eles está, cada vez mais, fora dos planos. Uma pesquisa realizada pela Momondo, buscador de passagens aéreas e reservas de hotéis, apontou que 33% dos brasileiros gostariam de levar seus pets durante as férias, mas não conseguem fazer isso. Já 15% afirmam que evitam viajar para não deixar o mascote sozinho e, ainda, 7% já se arrependeram da viagem por não estarem com seus peludos.


A boa notícia é que, com planejamento, você pode levar seu amigão naquela viagem tão sonhada.  As companhias aéreas permitem o transporte deles e as acomodações “pet friendly” são cada vez mais comuns. Entretanto, alguns cuidados são necessários para que a viagem seja realmente perfeita. Siga o guia que a Momondo preparou e aproveite as férias: 

Antes de tudo, check up no veterinário

Uma visitinha ao médico é fundamental para conferir a saúde do seu mascote e verificar se a carteirinha de vacinação está em dia. É importante fazer isso com antecedência porque algumas vacinas precisam ser aplicadas pelo menos três semanas antes da viagem para ter a eficácia garantida. E depois disso, o veterinário assina o passaporte do peludo e atesta que ele está apto a viajar. 

Documento para o pet? Sim! 

Se a viagem é para o exterior, os animais também precisam de identificação. É necessário um passaporte nos países que fazem parte do PETS (Pet Travel Scheme). O documento contém informações sobre vacinas, número do microchip, além da assinatura de um veterinário. Como o sistema PETS ainda não é padronizado, vale pesquisar sobre as políticas de viagem com animais tanto no país de partida quanto no de chegada, já que há lugares em que os peludos não são aceitos. 

 Outro cuidado superimportante, principalmente se o seu amigão for daqueles que gostam de vagar ao ar livre, é a utilização de plaquinha de identificação com número de telefone e o endereço do local onde você vai ficar. Isso pode ajudar a encontrá-lo mais facilmente, caso ele se perca.  

Nada de remédios para acalmar seu amigo 

Se o seu bichinho tem um temperamento ansioso, é provável que você já tenha recebido alguma dica de remédio do seu veterinário para acalmá-lo durante as viagens. Porém, a Associação Internacional de Transportes Aéreos, IATA, recomenda que seu animal esteja livre de drogas para evitar complicações com a respiração e o equilíbrio durante o voo ou a viagem de carro. Se o seu pet tende a ficar nervoso, o melhor é optar por soluções naturais, como pastilhas homeopáticas ou óleo de lavanda para massagem. Outro caminho é “cansar” o seu amiguinho antes do embarque para que ele durma durante o trajeto.  

Procure uma acomodação pet friendly 

É cada vez mais comum encontrar acomodações que aceitam pets, entretanto, é sempre bom checar as regras e se há cobrança de taxas extras em cada estabelecimento. Alguns hotéis oferecem serviços pet friendly extras, com caminhas confortáveis, mimos diversos e, em alguns casos, até um cardápio especial.   

O que levar na mala do pet 

Assim como você pode ter os seus amuletos e manias, os bichinhos também encontram conforto tendo algo familiar por perto. Um cobertor ou um brinquedo favorito podem ajudar o seu pet a relaxar, além de mantê-lo ocupado durante a viagem. Outra dica importante é não deixar para comprar a comida dele no destino final, porque você pode nem achar a marca ou tipo certo de alimento. O ideal é levar de casa, mas também não é nada fácil sair por aí com quilos de ração. Uma boa ideia é carregar comida suficiente para alguns dias e contatar um veterinário local para saber se a sua marca está disponível na região. E não esqueça de levar água extra no caso de longas viagens de carro. 

Para encontrar mais dicas de como viajar com os pets, visite o blog da momondo.

Comente!