Newsletter

a aa
03 01

Os primeiros passeios do seu cão

Publicado em 03 de Jan de 2018 por Victoria Bassi Comentar

Conheça a importância de adequar o seu pet aos passeios desde filhote!

Por Camila Rodrigues | Foto Shutterstock | Adaptação web Isis Fonseca

Passeio com o cão

Bartolomeu e Berenice são dois cachorros da raça Cavalier King Charles Spaniel que adoram passear e acabam deixando a sua dona, a empresária Rafaella Guerreiro Sales, de São Paulo (SP), louca quando não são atendidos.

“Costumo levá-los para passear pelo menos uma vez por dia. Mas quando eu não posso eles se tornam muito bagunceiros, andam atrás de mim e ficam latindo até conseguirem o que querem. E eles sempre conseguem”, ri.

Assim como a empresária, muitos tutores enfrentam a mesma experiência desagradável com seus peludos e, por isso, deixam de levar os seus pets para passear com medo de que eles não se comportem e acabem provocando cenas embaraçosas.

Porém, como bem sabemos, e a adestradora da Cão Cidadão (SP) Camila Rhani confirma, os passeios têm uma grande importância no desenvolvimento cognitivo desses animais, e devem ser incentivados todos os dias, independentemente do temperamento do cão.

“Passear proporciona estímulos mentais, além de gerar boas experiências como uma plena interação com os donos. Para que isso aconteça de forma positiva, o proprietário deve tomar algumas precauções. As principais são: estar com as vacinas em dia e possibilitar um passeio calmo e saudável para não traumatizar o pet”, ensina a treinadora.

No entanto, para Carla Berl, médica veterinária e diretora do Hospital Veterinário Pet Care (SP), as caminhadas proporcionam muito mais que um vínculo de proximidade entre o tutor e o mascote.

“Os passeios, se feitos diariamente, podem reforçar a musculatura, gastar a energia extra, condicionar o cachorro fisicamente, auxiliar o funcionamento gastro intestinal (evacuação), fora evitar alterações comportamentais, como ansiedade e estresse”, enfatiza.

Educação em 1º lugar

Como na maioria dos problemas comportamentais, a educação durante a fase da socialização – nas primeiras semanas de vida do animal – pode ser a solução para que a hora do passeio seja de fato a mais feliz na vida do pet.

Para isso, os tutores não precisam enlouquecer e ensinar milhares de truques, mas oferecer estímulos mentais (brincadeiras interativas) e sensoriais (cheiros e barulhos), que podem transformar o seu adorável filhote em um cachorro adulto sem medos e principalmente educado.

“Para ajudar no comportamento dos cães durante os passeios, os donos podem ensinar comandos simples como senta e fica, com a guia e dentro de casa. No começo, o ideal é usar uma coleira peitoral para trazer mais segurança e confiança para o cachorro”, comenta Carla.

Mas a veterinária faz um alerta: se durante o processo ele se machucar, isso pode causar traumas. “O passeio é uma atividade que deve propiciar qualidade de vida para o cão, independente da raça ou temperamento. Fora gastar energia, ele estará exposto a ambientes e pessoas diferentes, por isso a educação desde cedo é primordial para sanar o medo ou hábitos indesejáveis”, enfatiza a adestradora da Cão Cidadão. 

Como acostumá-lo com o passeio?

Passear com cachorro não é simplesmente colocar a coleira e arrastá-lo pelo quarteirão afora esperando que dê tudo certo. É preciso que a experiência seja agradável para o pet e pra você também. Para tornar a missão mais fácil, a adestradora Camila ensina alguns macetes que podem auxiliar durante essa atividade que é essencial para o mascote.

“Os donos podem colocar a coleira no animal ainda dentro de casa e ir chamando aos poucos para passear. Conforme ele for obedecendo, pode-se oferecer um reforço positivo, como petiscos, carinho e elogios”, ensina a treinadora.

Outra dica super importante é não expor o seu amigão de quatro patas a locais muito barulhentos ou com muitas pessoas logo no início das andanças.

“A apresentação desses estímulos sensoriais tem de ser feita de maneira gradativa, para que ele possa se adaptar a passear sem causar traumas”, diz Camila, e enfatiza: “Não se deve nunca incentivar o cão a correr e brincar enlouquecidamente enquanto filhote e depois, quando adulto, querer que ele ande do seu lado educadamente sem guia, é totalmente incoerente. Portanto, o passeio é uma das atividades que devem ser condicionadas pelo proprietário desde a primeira saída com o animal, para que ele saiba exatamente a maneira que seu dono deseja que ele passeie e se comporte”, completa.

Adaptado de Revista Meu Pet Ed. 26

Comente!