Newsletter

a aa
06 09

Minipig: inteligência que encanta

Publicado em 06 de Sep de 2017 por Victoria Bassi Comentar

Assim como o cão, o pet também pode ser adestrado e aprende muito rápido, facilitando a convivência com o dono

Texto Bruna Gonçalves | Foto Shutterstock | Adaptação web Victoria Bassi

O minipig ganhou fama como filme “Babe, o porquinho atrapalhado” e tem conquistado cada vez mais espaço entre os pets preferidos para criarem casa. Celebridades como a socialite Paris Hilton e a cantora Miley Cyrus já adotaram um porquinho como mascote e aqui no Brasil não é diferente. Segundo o Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), o animal é considerado doméstico, então não há nenhuma restrição por parte do instituto em relação à criação ou venda, apenas pede a posse responsável.

Além da fofura, o motivo de muitas pessoas desejarem um minipig é por se acreditar que o bicho será sempre pequeno. No entanto, ele pode chegar ao tamanho de um cão de porte médio, entre 38 e 40 cm de altura. “Costumo dizer que, em geral, as fotos na internet são de filhotes. Um adulto, por exemplo, pode chegar a 35 kg”, afirma a criadora de São Paulo Glória Gobbi, 58 anos. Além disso, é preciso cuidar para que eles não fiquem obesos, oferecendo apenas ração própria, legumes e frutas.

A boa notícia é que eles são muito inteligentes. “A sua inteligência é incrível e comparada à do chimpanzé e de golfinhos quando se trata de resolver problemas”, conta o adestrador André Poloni. Por isso, assim como os cães, eles podem ser adestrados e aprendem rapidamente. “Para iniciar, o ideal é utilizar alimentos como banana ou mesmo ração (sempre na quantidade recomendada pelo veterinário) como recompensa para alguns comportamentos simples”, aponta o treinador. Abaixo, confira outras dicas especiais do adestrador e coloque-as em prática!

RECONHECER PELO NOME

Sempre que chamá-lo pelo nome, faça algo que ele goste muito, como um carinho ou ofereça algum alimento preferido para o pet associar o chamado a algo bom. Por isso mesmo, evite usar o nome dele quando estiver dando bronca.

HORA DE DORMIR

O local da soneca deve ser bem confortável, o que não significa necessariamente que cama seja a melhor opção. Alguns deles adoram dormir em pisos frios no calor. Assim como os cães, o indicado é que os donos criem vários cantos para que o minipig possa escolher o de sua preferência e adotar o hábito de deitar à noite.

LIMPO E CHEIROSO

Mesmo sendo conhecido por adorar lama, é possível despertar no minipig o gosto pelo banho. Para começar, na hora em que o animal estiver comendo, lave uma pequena parte do corpo utilizando água morna da maneira menos estressante possível. “A cada treino, lave uma parte do corpo, começando pela traseira, até que o animal aceite a ideia de ser molhado e enxugado”, explica o adestrador André Poloni.

Caso viva num ambiente sujo quando filhote, será difícil mudar o hábito. Por isso, o treinador Poloni indica recompensar o pet sempre que ele fizer xixi no local correto. Dessa forma, aos poucos ele irá repetir para ganhar snacks.

INTERAÇÕES TRANQUILAS

Aprender a passear de coleira é algo que o minipig pode e deve fazer. Isso porque, além de ser um momento de interação, faz com que o animal se exercite e evite a obesidade. Para que se acostume com o acessório, a dica é, mais uma vez, usar o alimento como aliado. “Coloque a coleira antes de ele comer e puxe-o em direção ao alimento, até que aceite a coleira e os puxões. Após alguns treinos, faça o teste fora de casa”, ensina Poloni.

Conseguir ficar com um agitado minipig no colo pode parecer outro grande desafio, mas não é impossível, os especialistas garantem! Para acostumá-lo, segure-o ainda no chão para oferecer o alimento e aos poucos levante com o pet até ficar na posição desejada. Lembre-se de que, depois de adulto, o tamanho e o peso dele podem dificultar a ação.

Revista Meu Pet Ed. 34

Comente!