Newsletter

a aa
02 01

Check-up do cão adotado

Publicado em 02 de Jan de 2018 por Victoria Bassi Comentar

Cuidados básicos e alguns exames vão garantir a saúde do mais novo membro da família!

Por Bárbara O. Roxo | Foto Shutterstock | Adaptação web Isis Fonseca

Check-up

Milhares de cães são adotados diariamente no país. Segundo a pesquisa Radar Pet, da Comissão de Animais de Companhia (Co-mac), 47% dos novos mascotes foram adquiridos por adoção em 2013. Mas adotar um cão não é simplesmente dar um lar a ele.

Além de uma boa alimentação, exercícios físicos, brincadeiras e carinho, o animal precisa, principalmente, de um check-up médico ao chegar à nova residência.

Como explica Mário Marcondes, diretor do Hospital Veterinário Sena Madureira, é importante que o pet adotado passe por um check-up completo com um médico veterinário de confiança antes que seja integrado à nova família.

“Muitas vezes, não se sabe a origem do cão e, portanto, se possui doenças que podem ser transmitidas aos outros animais da casa e até às pessoas”, alerta.

O diretor veterinário ainda ressalta que a consulta também é essencial para o bem-estar do peludo. “O veterinário irá avaliar se o pet possui alguma enfermidade que precise ser tratada. Às vezes, o especialista poderá diagnosticar precocemente uma doença”, explica Mário Marcondes.

Consulta passo a passo

Assim como numa consultade rotina médica humana, os animais passarão por uma avaliação em que o especialista irá verificar sinais vitais como batimentos cardíacos, frequência respiratória e temperatura.

Também serão avaliados peso e porte físico, pelagem, coloração das mucosas da gengiva e ocular, presença de nódulos ou pontos de infecção. Para complementar, alguns exames poderão ser pedidos como hemograma, ecocardiograma, função renal e hepática e, em certos casos, ultrassom.

“Existem algumas doenças silenciosas que somente com o exame físico do especialista e o auxílio dos exames laboratoriais conseguem ser prevenidas ou tratadas”, orienta Carla Bernardes, veterinária da Cobasi.

Providências essenciais

Ao chegar ao novo lar, o cachorro precisa estar protegido contra todas as enfermidades. Isso para não ser acometido por doenças que outros peludos possam ter ou mesmo ser responsável por transmiti-las. “Quando não se sabe a procedência do animal, é preciso toda a precaução antes de colocá-lo em convivência com outros”, ressalta Mário.

Entre os cuidados principais está a vacinação. Os cães devem receber, anualmente, doses contra doenças infecciosas por meio da antirrábica (que combate a raiva) e da múltipla V8. Essa última protege contra cinomose, hepatite infecciosa canina, adenovirose, coronavirose, parainfluenza canina, parvovirose e leptospirose canina).

A V10 e a V12, também encontradas no mercado, protegem ainda contra diversidades dabactéria leptospira. Existem outras vacinas importantes como para tosse dos canis, giardíase e leishmaniose visceral canina. “A vacinação é um dos cuidados mais elementares para os cães, seja ele filhote ou adulto.

Pois, ao realizar o protocolo vacinal, você deixará seu animal protegido de doenças infecciosas severas e em alguns casos fatais”, afirma Carla Bernardes. A vermifugação também deve ficar em dia.

Esses medicamentos irão prevenir ou tratar doenças causadas por vermes, muitas vezes microscópicos, que podem ser transmitidos para outros animais e até para humanos. É um tratamento constante e que deve ser realizado com frequência indicada pelo médico veterinário.

Adaptado de Revista Meu Pet Ed. 30

Comente!