Newsletter

a aa
08 12

Meu mascote foi atropelado, e agora?

Publicado em 08 de Dec de 2015 por Victoria Ragazzi Comentar

O acidente é grave e pode causar lesões em várias regiões do corpo do animal. Saiba o que fazer!

Texto por: Mário Marcondes 

Entre as principais causas de traumas sérios de animais está o atropelamento, que pode ser grave, e por isso o pet deve ser socorrido imediatamente. O pânico é a primeira coisa a nos atormentar quando nos deparamos com nosso amigo nessa situação. Mas a solução sempre é: mantenha a calma! Isso porque ele vai precisar de sua ajuda e, se houver desespero, você não conseguirá tomar atitudes que possam salvar a sua vida. Tente focar no socorro! 


(Foto: Reprodução)

Como agir na hora:
Primeiramente, observe se há alguma parte com sangramento. Utilize um pano limpo para estancar o local, pressionando a região. A seguir, observe as patas para verificar se há fraturas expostas. Nesse caso, procure manter o membro fraturado na posição anatômica, evitando movimentos bruscos, e o embale com uma toalha limpa. 

Transporte:
Se o cão for pequeno ou gato, apoie a mão na região do abdômen, paralelamente à coluna - para isso, deixe o peludo próximo ao seu tronco, e carregue-o com o mínimo de movimentação da coluna. Já no caso de um cão grande, procure uma tábua para que ele seja transportado reto. Mantenha o pescoço do animal esticado para facilitar a respiração e dirija-se o mais rápido possível para o hospital. 

Nunca deixe acontecer:
O atropelamento pode representar grande risco de vida. Saber previnir esse tipo de situação com regras e cuidados simples é a melhor alternativa. A primeira e mais preciosa dica é: passeia com seu animal sempre na coleira! Por mais que ele possa ser ensinado, não está livre de se assustar com barulhos e correr para a rua. Além disso, tome cuidado com a entrada e saída de casa, evitando fungos. 

Quer mais dicas para cuidar direitinho do seu pet? Garanta a Meu Petclicando aqui.

Comente!