Newsletter

a aa
20 01

Você sabia que o verão exige cuidados especiais para o seu pet?

Publicado em 20 de Jan de 2017 por Raíssa Jorgenfelth Comentar

Saiba quais os cuidados tomar com o seu bichinho neste verão como melhores horários para passeios e hidratação

Texto Raíssa Jorgenfelth | Foto Shutterstock

Evite caminhadas e passeios nos horários mais quentes, quando o sol está alto. Veja mais
dicas para proteger seu pet do calor  


O verão vem, a cada ano, surpreendendo pelas altas temperaturas e, com o aumento do calor, os cuidados também devem ser redobrados.  

 

Uma das principais recomendações é evitar caminhadas e passeios nos horários mais quentes, quando o sol está alto. Porque a temperatura da calçada e do asfalto são muito maiores que do ar e pode queimar gravemente as patinhas do seu amiguinho. Além disso, seu pet pode sofrer fadiga e desidratação, por isso dê preferência a períodos do dia com temperaturas mais amenas e, mesmo assim, faça pausas para hidratação e descanso na sombra.

 

De acordo com o Rodrigo Mainardi, conselheiro e membro da Comissão de Clínicos de Pequenos Animais do Conselho Regional de Medicina Veterinária de São Paulo (CRMV-SP), os animais precisam ingerir no mínimo 60 ml de água por quilo de peso por dia. “Ou seja, um animal de 5 kg deve ingerir, no mínimo, 300 ml de água limpa e fresca por dia. Uma dica é colocar cubos de gelo nos potes de água para mantê-la fresquinha por mais tempo”, diz. O médico-veterinário esclarece ainda que cães de focinho curto, como pugs e buldogues, são raças que têm maior dificuldade na perda de calor do corpo e por isso sofrem mais com o calor.

Já os gatos gostam de água corrente. Além da troca constante da água do bebedouro para ficar sempre fresquinha, pode-se ter uma pequena fonte para ambiente interno que servirá de incentivo ao consumo.
 

E se o animal apresentar mudanças de comportamento ou problemas de saúde causados pelo calor, o tutor deve levar o animal para um médico veterinário.

 

Piscina:

Para quem tem piscina em casa, o alerta  é em relação à ingestão da água repleta de cloro e outras substâncias prejudiciais à saúde do pet. Uma dica para driblar a curiosidade do pet é deixar água sempre disponível para o animal, trocando várias vezes ao dia. É preciso também supervisionar os animais nessas brincadeiras na piscina para que não ocorram acidentes. 

 



Comente!